sábado, 11 de setembro de 2010

Noturna









por Black da Silva


BIOGRAFIA

Noturna é uma banda brasileira de Gothic Metal da cidade de Belo Horizonte. Formada em Agosto de 2002 por Vivian Bueno (Vocal), Fábio Bastos (Vocal e Guitarra), Victor Munhoz (Piano e Sintetizadores) e Guilherme Carvalho (baixo) visando mesclar as diversas influências de cada integrante.

Durante algum tempo a banda não tinha um baterista fixo e precisava ensaiar com bateria seqüenciada; enquanto isso, Fabio Bastos se dedicava às composições da banda. Em janeiro de 2003 o baterista Rafael Costa se juntou a banda e começaram então os preparativos para a gravação do Cd demo Symphony of Decadence , e os shows de divulgação.

O álbum foi lançado em agosto de 2003 e obteve uma ótima aceitação de crítica e público, fazendo com que a banda conseguisse excelentes oportunidades com a gravadora Hellion Records, a abertura do Show do Moonspell, em Belo Horizonte, e a aparição no Jornal Hoje da Rede Globo.

O contrato com a Hellion Records foi firmado no final de 2004, e o debut Diablerie lançado pela mesma em Dezembro de 2005.

Em Dezembro de 2006, Fábio Bastos anuncia sua saída da banda. Em entrevista à Metalclube Fábio confessa estar desanimado com o estilo Gothic metal e com bandas com vocais femininos e que esse foi um dos motivos que o levaram a sair da banda.

A banda começa a procurar por um novo guitarrista. Em março de 2007 é anunciado que a banda havia encontrado um novo guitarrista, mas não havia divulgado seu nome. Depois de um mês de mistério, Sérgio Barbieri assume as guitarras e os guturais da banda.

Pouco depois da estréia de Sérgio no Gates of Darkness, Guilherme Carvalho anuncia seu desligamento da banda por motivos pessoais. Nesse período o Noturna estava em fase de composição e começou então a procura por um novo baixista.

No início de 2008 começa a ensaiar com o Noturna, assumindo o baixo e vocais limpos Alan Curátola, mas o nome só é divulgado no show de Eliminatória do Wacken Metal Battle, em BH, em Abril do mesmo ano.

Em Novembro, ainda de 2008, a banda participa da sessão de autógrafos do Nightwish, que aconteceu no Hard Rock Café em Belo Horizonte e surpreende com a ausência de Victor Munhoz nos teclados, sendo apresentada assim a mais nova integrante da banda: Laura Pataro. Após o show, a banda explicou na internet que problemas internos culminaram com a saída de Victor Munhoz.

Atualmente a banda está gravando o seu segundo álbum, no Estúdio WZ, em Belo Horizonte. O disco está sendo produzido por Alan Wallace e André Márcio da banda Eminence, ainda sem data de lançamento.

ANÁLISE DAS MÚSICAS

O cd Diablere é todo muito bom. Dentre as músicas que se destacam mais estão “Tears of Blood” e “Evil Heart”; a segunda se destaca mais porque é a mais bem trabalhada juntando vários tipos de vocais como lírico, gutural, coros e vocal masculino limpo como o de André Mattos. T ambém se destaca a faixa que dá nome ao cd “Diablere” e a segunda música intitulada “Remembrance of Dying”. Na maioria das melodias eles adotam um tom muito agressivo com guitarras bastante distorcidas e vocais guturais “nervosos”, tudo isso com o contraste da voz angelical de Vivian Bueno que consegue acalmar os ânimos. As letras seguem o mesmo clichê das bandas de gothic metal, sendo as temáticas predominantes a solidão e as trevas. No entanto, isso não importa, afinal é um clichê ótimo!

UM POUCO DA HISTÓRIA DOS GÓTICOS

Bom, o termo gótico originariamente GODO, era o nome de uma das tribos germânicas. Com o decorrer dos anos o termo gótico foi usado em várias artes e, até mesmo, na moda; dentre essas artes estão a pintura cujo inicio ocorreu na Itália por volta do séc. XII. Um renomado pintor desse estilo é GIOTTO; uma das características predominantes da pintura gótica era a perspectiva já que os pintores queriam criar espaços que pareciam reais. O termo gótico aparece na arquitetura também por volta do séc. XII, nas catedrais, e se espalhou muito rápido pelo leste europeu trazendo nela inovações em rel
ação ao período medieval. Durante quatro séculos, a arquitetura gótica desenvolveu-se radicalmente; os elementos de arquitetura foram aperfeiçoados, o interior das novas catedrais passou a possuir luminosidade e também a ser exuberantemente altas.

Já na contracultura, o chamado gótico é um estilo de vida. Tal estilo de vida teve maior repercussão nos anos 70, especificamente no Reino Unido. Esse modo de vida abrange desde música, moda específica e filosofia. Na música os termos abordados seguem temáticas como decadência, depressão, escuridão e, muitas vezes, temas religiosos. Os pioneiros da música gótica são o Bauhaus, o Sisters of Mercy e, é claro, o The cure que, além de ser precursor musical criou o visual e o estereótipo do chamado gótico, ou seja, o uso constante de roupa preta e maquiagem pesada. A banda Noturna é um grande exemplo desse tipo de música, pois une todos os “clichês” visuais e musicais góticos tais como roupa preta, maquiagem pesada e muita “obscuridade” nas letras.

Bom, terminando o estilo de vida gótico e passando para o visual deles, bom... Aposto que ao ler isso você logo imaginou uma pessoa vestida de preto e realmente é assim que eles se vestem. A cor Preta como tonalidade predominante acompanhada à uma postura tida como juvenil, é geralmente um arquétipo do mainstream[1]. A cor preta, como representação estética, geralmente é acompanhada de uma, ou mais cores adicionadas de forma peculiar para compor os visuais dentro dos estereótipos variante do Gótico. Como simbolismo, a semântica pode variar de indivíduo para indivíduo, ou estar praticamente ausente, permanecendo como apenas questão de estética.

O gótico na literatura teve início no séc. XVIII, na Inglaterra, especificamente com a publicação do livro O castelo de Otranto de Horace Walpole. Costuma-se destacar, como algumas das principais características desse tipo de literatura, os cenários medievais(castelos, igrejas, florestas, ruínas), os personagens melodramáticos (donzelas, cavaleiros, vilões, os criados ), os temas e símbolos recorrentes (segredos do passado, manuscritos escondidos, profecias, maldições). O romance gótico é uma manifestação essencialmente híbrida, um elo entre o romanesco e o romance no qual uma atmosfera de mistério, aflição e terror prevalece. Os autores góticos investiram na criação de imagens obscuras e representações simbólicas. O medo e o anseio pela morte foram temas centrais nessas narrativas cujos enredos oscilavam entre a realidade verificável e a aceitação de um mundo sobrenatural. Só pra citar alguns autores “góticos” são eles Bram Stoker que fez o aclamado Drácula e Mary Shelley com o seu Frankenstein: ou o moderno Prometeu.

Pode parecer estranho, mas quando as pessoas se referem ao termo gótico pensam em coisas sombrias e escuras, uma contradição com a arquitetura gótica citada.

Comumente ligado à obscuridade, O termo gótico choca conceitualmente com o que as catedrais medievais representaram em termos arquitetônicos. Diferente das catedrais românicas, que eram horizontais e escuras, as catedrais góticas eram longilíneas e claras devido ao uso de vitrais. Não podemos então, ver o termo simplesmente como espelho do que a moda e música dos anos 70/80 nos mostraram. Gótico é mais uma tentativa de entender e se ligar com a natureza superior (a altura das torres), de protestar contra a ordem vigente (o preto significa o luto, a oposição ao caminho que a humanidade está traçando).


[1] Mainstream: “O termo Mainstream inclui tudo que diz respeito à cultura popular, e é disseminado principalmente pelos meios de comunicação em massa. Muitas vezes é também usado como termo pejorativo para algo que "está na moda". O contrário do Mainstream seria chamado de Underground, ou seja, o que não está ao alcance do grande público, sendo restrito a cenas locais ou públicos restritos” (disponível em WWW.pt.wikipedia.org/wiki/Mainstream).


Sítio Oficial: www.noturnaonline.com

Wikipedia: www.pt.wikipedia.org/wiki/Noturna_%28banda%29

Letras: www.letras.terra.com.br/noturna/





Um comentário:

Carol disse...

Gostei muito da forma como escreveu o texto e do brinde sobre o gótico!Ótimo termos uma sessão de Música no Brumas. Seja bem vindo oficialmente, Black!

beijo

Brumas Negras

Um mundo que gera tanto fascínio quanto temor.